Esperança

Se em Deus depositamos também a Esperança, se Nele esperamos, finalmente o encontraremos

Testemunho - Dignidade devolvida

Testemunho de Gabi que teve sua dignidade de filha de Deus resgatada após seu encontro pessoal com Jesus. O Senhor a conduziu a um processo de conversão diária, luta verdadeira pela santidade.

Artigos

Glorioso São José

SFC 19.3.15 - São JoséEsposo de Maria, pai adotivo de Jesus, esses dois aspectos da vida de São José revelam bastante sobre quem ele é. Assim como, dentre todas as mulheres do mundo, Deus escolheu Maria pra ser a mãe do Salvador, assim também Deus fez com José, um homem descrito nas sagradas escrituras com o título de “justo”.


Para os judeus um homem justo era aquele que cumpria com retidão os preceitos do Senhor, um homem irrepreensível em suas ações. Na Bíblia encontram-se poucas informações sobre São José, entretanto as passagens em que ele é citado são suficientes para conhecê-lo e adentrar em seu coração.


Um bom exemplo está no Evangelho de São Mateus, capítulo 1, versículos 19 a 21, que além de definir José como um homem “justo”, também descreve o momento em que o anjo do Senhor lhe apareceu em sonho:


19. José, seu esposo, que era homem justo, não querendo difamá-la, resolveu rejeitá-la secretamente. 20. Enquanto assim pensava, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo. 21. Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo de seus pecados.


Esse pequeno trecho, evidencia a humildade e obediência de José, que foi capaz de abrir mão das suas vontades e acolher o que o anjo havia lhe dito; a sua intimidade com Deus, pois somente um homem de profunda oração acolheria com tanta docilidade a proposta feita pelo anjo; a sua coragem de seguir diante de uma situação completamente nova e inesperada, sem medo ou ressalvas diante do que poderiam enfrentar. Coragem que é uma das suas características mais marcantes, seja a coragem de uma vivência profunda de oração, até mesmo a coragem de superar as adversidades para proteger a Virgem Maria e o Menino Deus, como na viagem de Nazaré até Belém antes do nascimento de Jesus e a fuga para o Egito.


Em São José temos um grande exemplo de homem, pai e esposo para tomarmos como referência em um mundo que parece ter perdidos seus referenciais de bondade, justiça e moral. É possível observar no carpinteiro de Nazaré que o vigor e a virilidade tão típicas do homem e de sua masculinidade em nada se opõem a uma vida de oração e de intimidade com Deus, mas que na realidade se complementam. Tanto que em 1870, o Papa Pio IX declarou José como patrono da Igreja Católica, confiando a Santa Igreja à sua proteção, para que assim como ele cuidou de Maria e do Menino Deus, também cuidasse e protegesse a Igreja de Cristo.


Outro título que São José recebeu foi o patrono dos trabalhadores, em virtude disto no dia mundial do trabalho, 1 de maio, a Igreja celebra o dia de São José Operário.


No dia de hoje com grande alegria nos confiamos aos cuidados do Glorioso São José, celebrando, além das festividades do seu dia, a renovação dos votos dos consagrados da Comunidade Família em Missão, ofertando mais um na de nossas vidas a serviço de Deus e da Igreja, assim como José um dia ofertara a sua.


Que Deus nos dê a graça de também sermos tido como “justos”. Peçamos a benção e intercessão do homem a quem Deus chamou de "pai" sobre as nossas vidas neste dia tão especial.


"Lembrai-vos, oh! puríssimo esposo da Virgem Maria, que jamais se ouviu dizer que alguém tivesse invocado vossa proteção, implorado vosso socorro e não fosse por vós atendido. Com esta confiança, venho à vossa presença; a vós com fervor me recomendo. Não desprezeis as minhas súplicas, pai adotivo do Redentor, mas dignai-vos de acolhê-las piedosamente. Amém."

 

SFC - Matheus Campos
Matheus Campos
Consagrado da Comunidade Família em Missão

Pais e missionários

SFC 17.3.15 - Luiz Keliane e Ester
Minha esposa Keliane, e eu, Luiz, somos membros da Comunidade Católica Família em Missão, e estamos vivendo um período muito especial em nossas vidas.


Entramos na Comunidade efetivamente a dois anos, ingressando inicialmente no vocacional, que é um período de um ano de descoberta da vocação e do Carisma a ser vivido. Nesse período, fomos presenteados com uma grande benção, tão sonhada e esperada por nós. Descobrimos que a Keliane estava grávida e logo as promessas de Deus em nossas vidas seriam realizadas, a felicidade inenarrável de sermos pais. Foi uma grande festa na comunidade, um fruto do carisma iria nascer, a obediência e o sim a Cristo estavam gerando fruto, uma linda criança que se fosse menino chamar-se-ia Miguel e se fosse menina, como foi, seria chamada de Ester.


Nossa linda Ester nasceu no dia 16 de abril de 2014, e com essa nova fase de nossas vidas, veio também uma nova fase na vida religiosa em comunidade. Acabado o período vocacional, escrevemos uma carta ao Conselho da Comunidade descrevendo como foi esse período de nossas vidas. Após isso fomos chamados pelo fundador do Família, Paulo Amorim, que com sua maneira muito própria, nos informou que nós estaríamos ingressando no núcleo da comunidade. Foi grande nossa felicidade nesse dia! Apesar de sabermos do grande amor que o Paulo tem por nós, ele jamais nos convidaria para essa nova etapa de nossas vidas se não fosse da vontade de Deus. Temos plena certeza de que a voz dos fundadores, Paulo e Lívia, são a voz de Deus para nós, pois tudo o que é feito dentro da comunidade é por inspiração do Espírito Santo.


A felicidade em saber que Deus olhou para nós, confirmou o carisma família em nossas vidas. Nos deu cada vez mais força de sermos missionários e por meio do carisma Família ajudar a devolver a dignidade das pessoas, oferecendo a elas a ciência de um evangelho antes vivido por nós e que transformou nossas vidas.


Passamos a frequentar a reunião do núcleo sempre levando a nossa linda Ester, a “Teté”, tão amada por todos. Foi um certo pioneirismo, pois nunca havia ocorrido isso na comunidade. Fomos o primeiro casal a sermos agraciados com a paternidade no decorrer da missão, isso mostrou em nossos corações uma necessidade muito grande de sermos exemplo para os demais irmãos de comunidade. Vimos que Deus nos enviou a Ester, não só para a nossa felicidade, mas também para servir de exemplo para os meus irmãos, que com a graça de Deus, também viverão o que estamos vivendo.


A Ester é figura certa em todas os eventos da comunidade, seja no núcleo, oficina de casais, reuniões de ministérios, retiros e no nosso amado grupo, às quintas-feiras na paróquia Cristo Rei.


Mesmo com o cansaço do dia, mesmo com todas as dificuldades encontradas, provações, tempo corrido, temos a consciência de que Deus espera muito de nós, e de que a Ester foi mandada por Ele, então, ela deve participar da missão conosco. A família cristã, é projeto e desejo de Deus, então que seja feita a vontade de Deus, pois, eu e a minha casa serviremos ao senhor.


Passamos um ano no núcleo e após esse tempo, informamos o nosso desejo de servir a Deus e da consagração de nossas vidas a Ele, sempre junto a nossa linda Ester. Com a graça de Deus, no próximo dia 19 de março de 2015, dia de nosso intercessor, São José, a minha esposa Keliane e eu, Luiz, seremos consagrados da Comunidade Católica Família em Missão! Mais um momento sublime de nossas vidas, o sim ao chamado mais belo que já recebemos: uma VIDA CONSAGRADA, missionária, em família, seguindo o exemplo da Sagrada Família; e o mais importante, passando adiante para a nossa filha, valores Cristãos, mostrando que o evangelho de Cristo deve ser vivido de maneira radical, e que o mundo e suas tentações não devem nos abalar, pois escolhemos a melhor parte.


Que nossa Comunidade cresça sempre mais, para que mais vidas sejam resgatadas, mais almas sejam salvas e que Deus sempre nos capacite mais e mais a sermos efetivos na missão inspirados pelo Espírito Santo; servindo a Deus sempre com a intercessão de nossa mãezinha amada, Maria Santíssima e seu digníssimo esposo, São José e o Menino Jesus. Que as famílias procurem sempre seguir esse exemplo deixado por Deus, o exemplo da Sagrada Família.


Termino esse testemunho, como sempre termino todas as mensagens que escrevo: Que Deus os abençoe!

 

Luiz, Keliane e Ester.

Núcleo da Comunidade Família em Missão 

Mulher virtuosa

SFC 8.3.15 - Mulher Virtuosa
Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Fortaleza e dignidade são seus adornos; ela sorri para o futuro. Abre a boca para a Sabedoria, e uma instrução bondosa está na sua língua. O encanto é enganador e a beleza, passageira; a mulher que teme o Senhor, essa sim, merece elogios! (Provérbios 31, 10, 25-26, 30)


As obras do Senhor são maravilhosas! Que alegria é contemplar a beleza da criação divina. Deus criou a mulher e nisso há uma beleza única. Deus quando criou o homem percebeu que ele precisava de uma ajuda adequada, de alguém que pudesse lhe auxiliar, que pudesse lhe fazer companhia. Então, Deus criou a mulher. A alegria do homem ao contemplar a criação de Deus foi expressa em palavras de amor que declaram: “Desta vez sim, é osso dos meus ossos, é carne da minha carne!” (Gn 2, 23)


Alguns, por falta de conhecimento sobre a Palavra de Deus, acreditam que a mulher é colocada em um patamar inferior ao homem, pois a Bíblia narra que Deus formou a mulher usando como matéria prima a costela de Adão. E ainda, entende-se mal a passagem que esclarece que a mulher deve ser submissa ao homem.


Inicialmente, cabe observar que, a Palavra diz que o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus e Deus formou o homem com o pó do solo. Ora, se a mulher foi retirada da costela do homem é fácil notar que Deus escolheu uma matéria mais nobre para formá-la. O homem foi criado de uma matéria mais bruta, do pó do solo. Enquanto a mulher foi criada de uma matéria nobilíssima: da pura imagem e semelhança de Deus. Isso talvez explique suas características mais formosas e delicadas.


Logicamente, isso não torna a mulher mais nobre que o homem, torna-a simplesmente diferente dele. Com suas peculiaridades, a mulher não pode ser nivelada ao homem. Embora muitos movimentos que dizem “feministas”, os quais prefiro denominar de “masculinistas” pretendam nivelar as mulheres aos homens, isso não é possível! Nivelar é considerar igual. A natureza com que fomos criadas revela as nossas maravilhosas e evidentes diferenças, não somos iguais.


A mulher que teme ao Senhor consegue encontrar n’Ele sua identidade. Permanecendo próxima ao seu Criador, a obra d’Ele é revelada. Deus criou a mulher rica em virtudes. Quando a sonhou, Deus quis formá-la para ser uma ajuda adequada ao homem. Para que ela pudesse, verdadeiramente, auxiliar o homem, Deus precisou adorná-la com muitos talentos. Por isso a Palavra de Deus revela que a mulher virtuosa possui um valor superior ao das pérolas. Quem é a mulher virtuosa? Quem pode encontrá-la?


A Palavra de Deus responde: é a mulher que teme o Senhor. Nela o criador pode revelar sua linda obra: mostrando os tesouros com os quais a adornou. Isso porque ela se deixa ser conduzida pela vontade divina. A mulher virtuosa é rica em obediência, piedade, humildade, paciência, alegria, bondade, misericórdia, amor, esperança, fé, pureza, castidade, sensatez, sabedoria, prudência, submissão... Deus a auxilia a colocar suas virtudes a serviço de todos. A mulher virtuosa é sempre uma mulher serviçal, que ama o serviço.


A mulher virtuosa exala submissão... Ama a submissão ao homem. Porém não a qualquer homem. Ela entende que sua submissão é restrita ao homem que a Palavra de Deus indica.


Que homem é esse?


As mulheres sejam submissas a seus maridos, como ao Senhor, pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, seu corpo, da qual ele é o Salvador.  Ora, assim como a Igreja é submissa a Cristo, assim também o sejam em tudo as mulheres a seus maridos. Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela,  para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra,  para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim os maridos devem amar as suas mulheres, como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Certamente, ninguém jamais aborreceu a sua própria carne; ao contrário, cada qual a alimenta e a trata, como Cristo faz à sua Igreja - porque somos membros de seu corpo.  Por isso, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois constituirão uma só carne (Gn 2,24).  Este mistério é grande, quero dizer, com referência a Cristo e à Igreja.  Em resumo, o que importa é que cada um de vós ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher respeite o seu marido. (Efésios 5, 22-33)


Ora, existem homens que não vivem conforme a Palavra, por isso a Igreja não orienta que as mulheres se submetam a homens adúlteros, que batem nelas, que não buscam a santidade, que não se entregam por ela como Cristo se entregou pela Igreja.


Como foi que Cristo se entregou pela Igreja? Ele deu sua vida.


Que lindo é o papel do homem. Deus o constituiu para dar a vida pelas mulheres a fim de purifica-las, santificá-las. Que alegria para as mulheres é submeter suas vidas ao homem que se entrega por elas como Cristo se entregou pela Igreja. Um homem que dá a vida por elas.
O homem purifica a mulher com essa água que Deus derrama sobre ele por graça. Assim o homem purifica suas intenções muitas vezes recheadas de emoção. O homem pelo seu pragmatismo é capaz de purificar os excessos que as mulheres cometem pela sua característica efusiva. É daí que temos a comparação do homem como a lareira e a mulher como o fogo. O homem sozinho não é nada, é só uma estrutura de lareira. A mulher insubmissa ao homem pode ser perigosa porque imagine o fogo sozinho numa casa... Ia queimar a casa toda.


O homem é a cabeça porque ele purifica as emoções próprias da mulher.


A mulher virtuosa deseja ser purificada de suas emoções pela cabeça do homem, pois aí ela encontra o equilíbrio que a completa. Para ela, não há nada de inferior nisso. É uma alegria submeter-se ao homem, pois a Palavra de Deus é clara: a cabeça do homem é Cristo. Assim, submeter-se ao homem é submeter-se a Cristo. (1 Cor 11, 3)


A mulher virtuosa exala castidade...


"A moda atual é toda feita para que a mulher provoque o homem para o pecado contra a castidade. Ela hoje se veste para provocar um desejo sexual no homem. Isso é uma completa falta de caridade. Qual é a medida então da sua roupa? O tamanho da saia, do vestido? Não há regras canônicas, nem mesmo na Palavra de Deus há definição sobre isso. A regra é o seu irmão. Quanto mais você se cobre, melhor para o seu irmão. Em todas as culturas as mulheres investem tempo, energia, no seu vestir, na sua beleza, pois toda mulher gosta de ser admirada no seu vestido, no seu corpo." (Padre Paulo Ricardo).


Não há problema em ser feminina. Nós somos assim mesmo, queremos sair lindas, bem arrumadas e que as pessoas elogiem nosso vestido, diga que estamos lindas. Essas somos nós, mulheres. Nisso não há problema.


"O problema é, quando para sermos olhadas, pecamos e, pior, fazemos nossos irmãos pecarem. E essa realidade entrou com o pecado original. A mulher entrou em um desequilíbrio, a carne deseja tanto se exibir que chega a andar quase nua para que ser desejada e admirada pelos homens. Se você vê uma mulata sambando nua em cima de um carro alegórico, você olha para ela e pensa: poxa, que mulher piedosa, virtuosa!! Não, você não pensa isso porque a mulher ali se reduziu a alguns quilos de carne sambando em cima de um carro alegórico. A mulher se reduziu ao seu corpo, por isso você não consegue enxergar virtudes nela. Pois quanto mais se mostra o corpo, mais se esconde a alma. A mulher virtuosa não precisa andar “quase nua” para se sentir bonita, porque ela entendeu que a beleza do corpo é passageira e o encanto, enganador. Os elogios que ela busca são outros... Para a mulher virtuosa a beleza da castidade está no amor que ela tem a Deus e o desejo de que os homens encontrem a santidade no seu corpo e não o pecado". (Padre Paulo Ricardo).


A mulher virtuosa exala obediência, humildade, piedade...


A mulher virtuosa não é rebelde, nem relutante aos desígnios de Deus. Ela curva-se ao chamado divino e com suas delicadezas auxilia o homem a se curvar também.


O orgulho é combatido duramente em seu coração porque ela entende que na humildade encontra-se a grandeza de Deus.


A piedade encharca sua alma de Amor a Deus e os que estão ao redor dela são atraídos por esse amor.


Do mesmo modo que foi iniciado o texto, conclui-se, para que seja dada a devida atenção à riqueza dessa Palavra:


Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Fortaleza e dignidade são seus adornos; ela sorri para o futuro. Abre a boca para a Sabedoria, e uma instrução bondosa está na sua língua. O encanto é enganador e a beleza, passageira; a mulher que teme o Senhor, essa sim, merece elogios! (Provérbios 31, 10, 25-26, 30)

 

As mulheres não podem deixar que as virtudes com as quais Deus as adornou fiquem escondidas pelo pecado. Se seus adornos, mulher, estão invisíveis, aproxima-te do teu Criador para que Ele revele a beleza que és, obra Dele. Deixa que a Sabedoria de Deus visite tua boca para que tua língua seja instrumento de bondade. Isso sim é belo! Deixar que tua língua instrua a bondade e não a fofoca, a falsidade, a mentira, o engano...


Nós, mulheres, precisamos deixar que a fortaleza e dignidade que nos foi confiada por Deus sejam instrumentos de salvação para o homem. Desejemos ser a ajuda adequada, o auxílio propicio para o homem. A mulher é a glória do homem. (I Cor 11, 7) Se o homem for acompanhado de uma mulher sem virtudes, onde ficará a glória dele? Hoje vemos homens sem dignidade porque as mulheres esqueceram de auxiliá-los devidamente com seu adorno. Tenhamos consciência da missão importantíssima que é ser mulher. Não podemos deixar os homens sozinhos em sua missão, que nós sejamos esse auxílio, essa ajuda adequada sonhada por Deus.


Que a Virgem Maria, exemplo de Mulher, possa nos conduzir a nossa verdadeira identidade e nos ajude a descobrir as riquezas com que Deus nos adornou.

 

Renata
Renata Luna
Consagrada da Comunidade Família em Missão

Doce, Doce Espírito Santo.

 

 

Dentro de nossa casa temos um Doce Hóspede. O sacramento do Batismo nos garante a graça da presença do Doce Espírito Santo em nossas almas. O Espírito Santo age em nós: Ele nos santifica, purifica, liberta, cura, conduz nossas atitudes, palavras e pensamentos; cumula nossas almas de dons preciosos; consola nossos corações; revela o quanto somos amados; capacita-nos para o amor; preenche nossas almas; concede-nos a alegria...


Vale a pena refletir... Com a presença de um morador tão poderoso, tão doce, tão amoroso e que opera tantas maravilhas em nossas almas, o que falta para nos sentirmos plenos?


Nossa Senhora é plena em graças. Ela é a “Ave, cheia de graça”. Isso porque descobriu o segredo: para ser pleno em graças não basta ter o Espírito Santo como hóspede da alma, é preciso ter A DOCILIDADE.


Aquele que tem docilidade obedece sem relutância. O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade; sendo Deus, respeita o livre-arbítrio. Portanto, temos a liberdade de não permitir as graças do Espírito em nossas almas, mesmo sendo Ele hóspede delas. A alma que despreza ou reluta contra a ação do Santo Espírito, despreza e reluta contra as graças de Deus. Assim, não se torna plena em graças.


Impedimos a ação do Espírito Santo em nossas vidas porque não sabemos nos curvar prontamente aos movimentos livres e ousados de Sua Bondade.


O Espírito Santo é bom. Deus é bom. Tudo que Ele opera em nós é graça. Porém, o princípio da soberba acaba por se impor como rei soberano contra as manifestações do mesmo Espírito. O homem soberbo ousa enfrentar a Vontade de Deus, questioná-la, afastando-se, dessa forma, de sua Bondade.


Maria, ardente em seu temor a Deus, não questionou Sua Vontade, mas se fez escrava dos desígnios de Deus. Ela não mediu o valor dos seus sonhos e planos, considerou tudo muito pequeno diante da grandeza do chamado de Deus: a salvação da humanidade.


A docilidade de Maria permitiu que o Espírito Santo a cobrisse com sua sombra e assim se tornou esposa Dele. Deus a escolheu para participar do seu plano de salvação. Hoje, Deus nos escolhe para dar continuidade a esse plano de salvação.


Desejosos em corresponder aos desígnios de Deus, querendo participar desse grande mistério de Amor, precisamos aprender o segredo de Maria.
Nossa Senhora sempre foi dócil porque tinha consciência de quem era, sabia de sua pequenez. Ela entendeu que diante de um Deus tão grande, ela não poderia ser mais que sua humilde serva. Ora, sendo a Mãe de Deus, uma humilde serva, quem somos?


Ela nunca permitiu que suas dúvidas fossem obstáculos para ação do Espírito Santo. Antes, preferia guardar no coração que relutar contra a vontade divina.


Muitas vezes desprezamos as graças, deixamos o tempo escoar e junto as graças de Deus por insistirmos em fazer as nossas próprias vontades. Construímos planos que se afastam da ação doce do Espírito Santo. Quem opta por não ser dócil a vontade de Deus, certamente experimenta o afastamento da graça: sente o vazio, a tristeza, o abatimento. Isso porque só as graças de Deus são capazes de nos tornar plenos, preenchidos de felicidade.


O tempo da graça é hoje! Nossa Senhora não pediu ao anjo um tempo para pensar e refletir se estava preparada para grande missão que Deus estava lhe confiando. Ela apenas disse SIM. Ela não pediu um tempo para pensar se valeria a pena abandonar seus sonhos, se ela deveria arriscar a própria vida pelo chamado de Deus...


Maria não precisava de tempo para pensar porque ela sabia que sua razão era demasiadamente limitada diante da Sabedoria infinita de Deus. Então para que pensar, avaliar, pedir “tempos” para Deus? Se Deus falou, basta. Deus é Deus.  Ela compreendeu isso.  


Que nossa humanidade tão cheia de relutâncias possa encontrar no exemplo de Maria a beleza da docilidade... Desejemos ser como ela, sejamos como ela... cheios de graça.


“Doce, Doce Espírito Santo, exemplo queremos ser da Mãe de Nosso Senhor.”


Deus os abençoe. SFC!

 

Renata

Renata Luna
Consagrada da Comunidade Família em Missão

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Sub-categorias

AJUDE-NOS

Comunidade Católica Família em Missão

CNPJ 19 446 396/0001-23


Banco: ITAU
Agência: 0667  |   Conta Corrente: 8945-2

 

Liturgia Diária